• 0
  • 1 Faculdade Dom Pedro II - São Carlos-SP (1928-2009)
    Acervo Valentim Gueller Neto
  • 2 Bonde da Carne São Carlos–SP (1912-1962)
    Acervo Raymond DeGroot
  • 3 Estação Ferroviária de São Carlos-SP (1925)
    Acervo Valentim Gueller Neto

Estação 62 - Os Origamis do Sr. Francisco Rossi Filho

| | Comments: ( 10 )
Vou contar um pouco da história do Barbeiro mais idoso e mais antigo de São Carlos-SP, Francisco Rossi Filho, o "Chiquinho", como é carinhosamente conhecido. Como já foram realizadas várias reportagens sobre ele, vou  enfatizar  sua arte, o Origami.  Conversei com ele e segue um resumo:   Nasceu em 17 de julho de 1922, na residência junto ao Salão Rossi que ficava na esquina Av. São Carlos com a Rua XV de Novembro em São Carlos-SP.       Foto 01                                                                CLIQUE SOBRE AS FOTOS QUE AMPLIAM


Depois, nos anos 50 e 60, lá foi o famoso Bar XV.e hoje, a Drogaria São Paulo.       Foto 02


Em 1932, o Salão já estava alguns quarteirões abaixo da mesma Avenida, entre as Ruas Marechal Deodoro e Sete de Setembro, defronte ao Hotel Accácio e ganhou o nome de "SALÃO AURORA". Chiquinho tinha dez anos e acompanhava o pai, Francisco Rossi, no Salão e o Professor Archimedes Dutra, que ministrava a disciplina de Trabalhos Manuais da  Escola Modelo*, foi cortar os cabelos e lhe fez uma pombinha em papel dobrado que puxando a cauda, as asas se movimentavam para cima e para baixo.  Naquele local hoje funcionam o "CHAVEIRO SÃO CARLOS" e a  loja "DUDA MODAS".                                       *Escola Modelo, depois Escola Normal e hoje  Instituto de Educação Dr. Álvaro Guião  Foto 03     


Ao presentear o Chiquinho com a pombinha o Professor lhe disse: -"Vai desmanchando e vai fazendo que você aprende e vai fazendo." Nasceu uma paixão que já está com quase 82 anos! Foto 04 


Em meados dos anos 30,  o Salão foi  para a rua Sete de Setembro, numa das salas inferiores do Hotel Accácio e passou a chamar "SALÂO DOS BANCÁRIOS".  Chiquinho continuou a acompanhar o pai e com 12 anos iniciou o ofício de Barbeiro e  Foto 05 -                    


continuou fazendo e aprendendo as dobraduras, inicialmente as mais fáceis, com poucas dobras. Foto 06


No final dos anos 30, o Salão ganhou novo endereço, rua Major José Inácio, entre as ruas Dª Alexandrina e São Joaquim, defronte aos consultórios  dos irmãos  Dr. Samuel e Dr Luiz Valentie de Oliveira* e voltou a ser "SALÃO ROSSI".  Naquele local, depois foi a Loja PFAFF, nos anos 50, a Sorveteria Romanelli nos anos 60 , a Refrigeração ALFEO nos anos 60 e 70, o Banco Real nos anos 80 e hoje, o  SANTANDER. *No local dos consultórios hoje, é o 1º Cartório de Notas.   Foto 07



E os origamis foram evoluindo. Foto 08

            
DO CENTRO DA CIDADE, PARA A REGIÃO DA 
ESTAÇÃO FERROVIÁRIA      Foto 09




Em 1939, o SALÃO ROSSI mudou-se para a região da Estação Ferroviária, defronte a Praça Antonio Prado. Naquele local, nos anos 50 e 60  foi a Pauilliloptica e hoje a Móveis Bueno.  Foto 10


  Fachada da Paulliloptica.    Foto 10-1





E o Barbeiro que começou o ofício em 1934,  foi se refinando também nas dobraduras.                Foto 11  

Em 1945, o Salão mudou-se  para a rua General Osório, entre as ruas General Osório e Visconde de Inhaúma,  a 50 metros dos trilhos da Companhia Paulista de Estradas de Ferro, onde permaneceu como "SALÃO ROSSI" por 55 anos, até 2000. Do lado direito da Barbearia era o estúdio fotográfico "Foto Arte",  do fotógrafo José João, o "Alemão". e nas décadas de 1910 e 1920, naquele local foi o  HOTEL UNIÃO. Em 1952 o Sr Francisco Rossi faleceu e o Chiquinho herdou o Salão. Foto 12                                                                                                                                                                  



Com a habilidade e refinamento que foi ganhando, passou a fazer origamis com maior grau de dificuldade. Foto 13



Finalmente, em 2000, mudou-se para a rua Riachuelo,                                                                                        a 150 metros da Estação Ferroviária, onde se encontra há 14 anos. Até meados dos anos 80, o prédio fazia divisa nos fundos com a Serraria Santa Rosa. Foto 14 e 15                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                           Foto 16



Quando se chega na Barbearia, da rua, já é possível ver os origamis que adornam a janela, esferas estreladas, Tsurus ...Foto 17


e ao entrar, uma grande surpresa, parece que se está entrando em um ambiente oriental! Mesinhas, aparadores e prateleiras repletas de origamis, são centenas e centenas. De oriental, tem somente a aparência; o Chiquinho é descendente de italianos. Foto 18




Pendurados na borda de uma prateleira, lá estão vários estandartes de Tsurus, cegonha japonesa e ave sagrada do Japão  Foto 19



As vestes delicadas e hamoniosas  das bonecas são em papéis dobrados. Foto 20



As estrelas, em papéis metalizados se destacam  e sobre a mesa, uma quantidade  de origamis diferentes um do outro.   Foto 21



Aqui, esferas florais, estrelas, aranhas, Tsurus...Foto 22



tarântulas negras...,  Foto 23



bandejas e  galinha.  Foto 24



Muitas esferas florais e  Foto 25



Eléktricas, que segundo o Chiquinho, em qualquer posição, sempre   tem a aparência de caveiras, com os olhos, o nariz e a boca.  Foto 26





Os  representantes do cardume, Foto 27

as árvores de Natal  e os Tsurus.        Foto 28


Esse é bem brasileiro, o  papagaio, Foto 29




O  casal de Tsurus,   Foto 30


o pavão com toda a sua imponência  e  Foto 31



a coruja  com mais de 1500 pedacinhos de papéis dobrados. Foto 32


As avestruzes em tonalidades que se destacam e chamam a atenção.  Foto 33



A corujinha da sorte, é um origami pequeno e cabe no porta-moedas de uma carteira. O Chiquinho me contou que: "A corujinha tem que ser ganha, depois quem a recebeu, olha nos olhos dela e mentalmente faz um pedido em segredo e a guarda na carteira.Foto 34


Francisco Rossi Filho é o Barbeiro mais idoso e mais 
antigo de São Carlos-SP.  Se orgulha em ser o  único 
Profissional em  cortar os cabelos dos fregueses com
 navalha e entre a saída de um e a chegada do outro, 
vai dobrando papeizinhos para mais um origami. Foto 35
                                                  



No dia 22 de abril de 2014, quando o visitei, os papeizinhos, que ele chama de peças, estavam sendo guardadas    Foto 36


para produzir um cisne semelhante a este, com mais de 600 peças.  Parece fácil, mas para chegar a esse detalhismo, foram 82 anos!. A única aula lhe foi dada em 1932, no SALÃO AURORA. Certamente o Chiquinho se tornou o aluno mais aplicado do  Professor Archimedes Dutra   .   Foto 37      
PARABÉNS CHIQINHO POR SUA PERSISTÊNCIA E POR SUA ARTE!


VEJA O VÍDEO


VEJA MAIS:




CRÉDITOS:
FOTOS:
01, 02, 03, 07, 09, 10, 10-1 e 12:  Acervo Valentim Gueler e Marina Dino dos Anjos
04, 06, 08, 11, 13, 14, 15, 16, 17,  18, 19, 20, 21, 22, 23, 
24, 25, 26, 27, 28, 29,  30, 31, 32, 33, 34, 35, 36, 37 e vídeo: José Alfeo Röhm
05: Almanach Album de São Carlos 1916 - 1917
01, 03, 07 e 12: Tratamento digital - Marina Dino dos Anjos
PARTICIPARAM:
Maria Nazareth, Daniel e Lika Röhm

Obrigado por sua agradável companhia, nos encontraremos certamente, na Estação 63.
Abraços, Alfeo.

OBS: Se você tiver dificuldade em fazer um comentário na janela aí abaixo, entre como anônimo e cite seu nome e e-mail no final.
OBS: Se você tiver dificuldade em fazer um comentário na janela aí abaixo, entre como anônimo e cite seu nome e e-mail no final.