• 0
  • 1 Faculdade Dom Pedro II - São Carlos-SP (1928-2009)
    Acervo Valentim Gueller Neto
  • 2 Bonde da Carne São Carlos–SP (1912-1962)
    Acervo Raymond DeGroot
  • 3 Estação Ferroviária de São Carlos-SP (1925)
    Acervo Valentim Gueller Neto

Estação 73 - Algumas Marcas Antigas de São Carlos - SP

| | Comments: ( 3 )

Com o passar dos anos, muitas marcas famosas nacionais e internacionais foram desaparecendo por falências, aposentadorias, mortes, fim dos negócios, mudança da razão social...Em São Carlos - SP, não foi diferente. Algumas marcas famosas dos anos 50 e 60 também desapareceram. No almanaque da cidade, de 1969, aparecem 192 propagandas dos estabelecimentos industriais, comerciais e prestadores de serviços, das quais apenas 23 (12%) continuam sobrevivendo. Em 46 anos muita coisa mudou e também muitas marcas deixaram de existir.  Abaixo segue representantes de algumas categorias  que foram marcas famosas e que hoje não estão mais presentes. Capa - Foto 01                                                                                                                      PARA AMPLIAR AS FOTOS, CLIQUE SOBRE AS MESMAS




SEGUEM REPRESENTANTES: 
 OS AÇOUGUES


Localizava-se na região das autopeças, próximo da Praça Elias Salles, ou  "Santa Cruz", era da época de vender banha. Foto 02
AS ALFAIATARIAS

No almanaque consta somente esta alfaiataria, mas entre os anos de 1940 e de 1960,  São Carlos concentrou o maior número de alfaiatarias do Estado de São Paulo, A razão disso, era a Companhia Paulista de Estradas de Ferro que comprava os uniformes dos ferroviários nas alfaiatarias de São Carlos. Foto 03


AS REVENDAS DE AUTOMÓVEIS

Foi líder do mercado automobilístico durante muitos anos, Localizava-se na Av. São Carlos, 760, próximo da entrada Sul da cidade. ..  Foto 04 

OS ARMARINHOS

Armarinho? Quase nem se ouve mais falar!  Eram lojas que vendiam miudezas destinadas às costureiras, botões, carretéis e retroses de linhas, zíperes, colchetes, alfinetes, agulhas...Localizava-se próximo da esquina com a Av. Sallum, ao lado da Igreja de Santo Antonio.  Foto 05





OS BARES

Foi o bar mais famoso da Vila Prado. Para vender sorvetes KIBON nos anos 60, tinha que ser requintado. Tinha o nome de "NAVIO" pelo formato do prédio que acompanha a confluência da Av. José Pereira Lopes com a rua Dr. Duarte Nunes, em aproximadamente 30º ou 40º; sua frente era o vértice do triângulo lembrando a frente de um navio. Foto 06



Era mais conhecido como "Bar do Arnaldo". Tinha localização privilegiada no centro da cidade. De um lado estavam o Fórum e a Prefeitura Municipal, na frente, a antiga Caixa Econômica Estadual, e nos arredores,  os bancos. Era  ponto de encontro  dos forenses, bancários e dos servidores municipais. Os fregueses mais tradicionais, amigos, se encontravam na parte interna do balcão, e os mais novos, nas mesas. Duas frases daquele bar: "O único que faz frente para a Caixa Econômica Estadual". "Aqui o bauru é um ex-touro." Foto 07


AS FÁBRICAS DE BEBIDAS:

Eram os refrigerantes da criançada, o preferido era o de maça, mas nas festinhas de aniversários todos eram bem vindos. Localizava-se na região da Estação Ferroviária.  Foto 08


A FÁBRICA DE BALANÇAS

Competia de igualdade com as balanças FILIZOLLA, VICRIS, CONFIANÇA e TOLEDO. Foi referência de endereço na cidade, e muitas vezes se ouvia: "Fica lá perto da fábrica de balanças."  Localizava-se entre as ruas Dom Pedro II e Rui Barboza.  Foto 09


A FÁBRICA DE BOLAS DE BOCHA

Marca muito forte principalmente entre os jogadores de bocha. da cidade e da grande região. Lcalizava-se na Vila Lutfalla, próximo do Centro de Especialidades. ao Sul da cidade.  Foto 10


AS LOJAS DE CALÇADOS

Durval Penedo era o proprietário e reinou durante muitos anos. Localizava-se na esquina da Av. São Carlos com a rua General Osório, "rua do comércio". Médicos, dentistas, advogados, bancários se encontravam na loja para escolherem os pares de sapatos. Os caixeiros levavam pilhas de caixas de sapatos nas residências para que as senhoras da sociedade fizessem as escolhas.    Foto 11                                                                                                                                                                                                                         


OS ESCRITÓRIOS DE CONTABILIDADE

Representou a honestidade na contabilidade. Empregava cerca de trinta funcionários. Alguns deles deram continuidade ao negócio montando novos escritórios. Localizava-se ao lado da Catedral. Foto 12


AS CONSTRUTORAS 

Quando se via que o tapume de uma construção era azul e branco, já se sabia, era da Construtora Arquitécnica. Essa marca se tornou muito forte e liderou as construções da cidade por um bom tempo.  Foto 13



OS CURTUMES

Marca que produzia couros para as selarias da cidade.  O bairro Monjolinho é a região onde localiza-se a UFSCar - Universidade Federal de São Carlos e  o Parque Ecológico, antigo Espraiado.   Foto 14


AS CHURRASCARIAS

O detalhe era o subsolo onde a moçada se encontrava nos finais de semana. Era um ambiente muito gostoso, animado e divertido. Hoje não conseguiria o alvará de funcionamento, não tinha ventilação e possuía somente a porta estreita de entrada.  Foto 15


AS ESCOLAS DE DATILOGRAFIA

Para ser alguém, tinha que saber escrever à máquina. A Escola Olivetti localizava-se em local nobre, no centro da cidade. Tinha sempre máquinas novinhas e os alunos eram os filhos dos profissionais liberais da cidade. O curso de datilografia do SESC, que tinha máquinas surradas, era para todos. O computador chegou e hoje, nem a Escola Olivetti e nem o curso do SESC.  Foto 16



A FÁBRICA DE DESINFETANTES

"LINKER", se tornou uma marca muito conhecida, Concorria com as grandes marcas, mas sempre garantia um preço competitivo  e assim foi ganhando muita freguesia.  Foto 17


AS ESCOLAS PROFISSIONALIZANTES

Essa marca se tornou um verdadeiro império na cidade. O curso de Química Industrial sempre foi o grande destaque e formou muitos alunos.  Localizava-se na esquina das ruas Dona Alexandrina e Treze de Maio, defronte à praça Coronel Paulino Carlos de Arruda Botelho,  próximo do Fórum e da Catedral. O Liceu Professor José Geraldo Keppe, tinha como sede um prédio histórico, o palacete Visconde Chunha Bueno, que em 1886, hospedou Dom Pedro II quando de sua visita imperial na cidade. Localizava-se próximo do centro, na rua Treze de Maio, 2319, esquina com a rua  Dom Pedro II. Foto 18


AS LOJAS DE ELETRODOMÉSTICOS

Foi a primeira loja de eletrodomésticos de outra praça a instalar-se na cidade. Venceu todas as barreiras e se tornou uma marca de destaque. Foto 19


A GERADORA DE ENERGIA ELÉTRICA

Foi a marca que gerava energia elétrica e operava os bondes de São Carlos. Era mais conhecida por CPE. Sua sede era no centro da cidade, próximo da Câmara Municipal.   Foto 20


A FÁBRICA DE ESPELHOS

Marca regional, era a única fábrica de espelhos em um raio de 100 Km. Localizava-se ao lado da Escola SENAI "Antonio Adolpho Lobbe" e próximo do pátio ferroviário.   Foto  21


AS FARMÁCIAS

"CENTRAL", por que era no centro da cidade. Localizava-se defronte à  praça Coronel Salles e próximo da Câmara Municipal. Foto 22


AS FORJARIAS DE FERRAMENTAS  MANUAIS:

"CIAR", da família Ciarrochi. Era uma forjaria que, inicialmente, foi do lado direito da plataforma da estação ferroviária. Em 1965, foi desapropriada para a construção do viaduto "4 de Novembro",  e transferiu-se para a rua Coronel Julio Augusto de Oliveira. Fabricava ferramentas manuais para a cidade e região. Foto 23


AS LOJAS DE FOGÕES E GÁS

As lojas de venda de fogões e cotas com dois botijões de gás eram poucas, a "SUPERGAZ" se destacava na região comercial da cidade. Foto 24


OS FOTÓGRAFOS

Carlos Fonseca Grimberg deixou muitas saudades. Depois de ficar muitos anos na rua 13 de Maio, defronte à praça Coronel Paulino Carlos de Arruda Botelho, montou o estúdio em uma Kombi e a deixava estacionada dia e noite, no estacionamento daquela praça, sob as arvores. Inovou, e desenvolveu o método de fotos 3x4 coloridas em 5 minutos. Foto 25


OS HOTÉIS

Era muito requintado, tinha o maior salão de refeições da cidade que também  atendia festas de aniversários, batizados, bodas, casamentos, e confraternizações.  Nos finais de semana, o salão era dividido em duas partes e a menor se tornava uma pizzaria para as famílias e casais de namorados. Foto 26


AS LAVANDERIAS

Nos anos 60, já fazia o "leva e traz", no início da semana retirava nas residências as peças de tecidos para serem lavadas, e na sexta-feira ou sábado as devolvia lavadas e passadas. Foto 27


OS LABORATÓRIOS

Era do tempo  que as seringas hipodérmicas eram de vidro e reaproveitadas, do tempo que para se fazer um simples hemograma, o resultado levava  no mínimo três dias. Foto  28


AS LIVRARIAS:

Era uma livraria que localizava-se bem no centro da cidade, vizinha da Casa Rádio-Luz e ao lado da praça Coronel Salles.  Foto 29



AS FÁBRICAS DE MÁQUINAS  

Destacou-se na fabricação de prensas excêntricas, localizava-se defronte à praça Itália, na entrada Sul da cidade,  Foto 30



AS LOJAS DE MATERIAIS ELÉTRICOS

Ocupava uma das principais esquinas do centro da cidade, rua Sete de Setembro com a rua Dona Alexandrina. Vendia também rádios a válvulas da RCA Victor e as geladeiras Frigidaire.  Foto 31



AS MERCEARIAS

Inovou, passou a embalar tudo aquilo que era vendido em sacos abertos de 60 quilos em embalagens de 1 quilo, e de mercearia, passou a ser o primeiro "peg e pag" da cidade. No centro da cidade só havia aquele estabelecimento de secos e molhados, e nos arredores, estavam o Colégio São Carlos e os bancos da cidade.  Foto 32


Ficava defronte ao Mercado Municipal. Sua freguesia era principalmente a colônia japonesa. Também eram fregueses,   as pessoas dos sítios e fazendas, cujos caminhões disputavam uma vaga quando as traziam, e depois as buscavam com suas compras.  Foto 33



AS IMOBILIÁRIAS

Marca muito forte e empreendedora no mercado imobiliário. No final dos anos de 1970, lançou a ideia do primeiro shopping center de São Carlos, em uma grande área na Av. Getulio Vargas, próximo da sede do SAAE - Serviço Autônomo de Água e Esgoto.  Mas a cidade ainda não estava preparada para o empreendimento, e não vingou. A imobiliária localizava-se na região central da cidade a 100 metros da praça Coronel Salles. Foto 34



AS LOJAS DE MODA FEMININA

Aquelas perguntas costumeiras das mulheres; - Onde você comprou? - No Junes. Era o suficiente, por que Junes era marca de qualidade. Localizava-se entre as ruas Geminiano Costa e General Osório.  Foto 35


Além de vestuários e presentes, também vendeu eletrodomésticos. Foi uma das primeiras lojas a vender discos de 78 rotações por minuto, aqueles prensados em cera de carnaúba com uma música gravada em cada lado e extremamente quebradiços. Em 1957, Essio Pallone, sócio da Modas Elmo, gravou um disco homenageando o centenário da cidade. Do lado "A", a música "O Centenário de São Carlos", letra de Essio Pallone e música de Herminio Facioli,  no lado "B", o samba canção "Cidade Sorriso", letra e música de Oswaldo Quirino. A instrumentação das duas músicas foi do conjunto Titulares do Ritmo. Foram prensadas muitas cópias pela gravadora de São Paulo, e a Modas Elmo as distribuiu gratuitamente para seus fregueses.  Foto 36


Se diferenciou pelo endereço, escolheu um local fora do eixo comercial, e também pelo atendimento e qualidade dos produtos, sempre teve uma grande freguesia fiel.Pertencia à família Ambrosio.   Foto 37


Era a marca da boutique destinada às noivas e localizava-se em uma das lojas externas do Mercado Municipal.  Foto  38

Primeiro, foi "A IDEAL", e depois passou a ser "NOVA". Localizava-se na rua  "do comércio", entre a Av. São Carlos e a rua Episcopal.  Foto 39



AS FÁBRICAS DE MÓVEIS

Especializou-se principalmente na produção de escrivaninhas. A marca MOYSTER foi a união dos nomes Moyses e Ester, proprietário e esposa da Empresa.  Foto 40


AS OFICINAS PARA VEÍCULOS:

O Fusca era o carro popular dos anos 50 e 60, a "SOVOKS" só atendia veículos da Volkswagen. Foto 41


AS ÓPTICAS

O óptico Luiz Paulillo Filho fez essa marca líder de mercado por muitos anos. As lentes de vidro eram lapidadas nas pedras das politrizes. Localizava-se defronte à praça Antonio Prado e ao lado da Estação Ferroviária. Tinha como vizinho, o Bar e Restaurante São Judas Tadeu.  Foto 42


AS PADARIAS:

"VENEZIA" dos irmãos Margarido,  foi a padaria mais tradicional da região da baixada do Mercado Municipal. Localizava-se a 50 metros daquele centro de abastecimento da cidade. Foto 43


AS FÁBRICAS DE PARAFUSOS

O número correto do prédio da fábrica "EMPYRE", na rua Padre Teixeira, era 3386, próximo da rua Monteiro Lobato, na Vila Nery. - Pertencia à família Araujo. Foto  44


O PASTIFÍCIO

Competia com as grandes marcas, Galo, Ádria e Renata. Tinha também um produto bem popular, o espaguete bem fino, que era embalado em pacotes  de uns 50 centímetros de comprimento por  uns 5 centímetros de diâmetro. O detalhe dos pacotes era o papel, tipo crepom em azul marinho fosco, e o rótulo em amarelo e vermelho. Esse macarrão, por ser popular, ficava sempre nas prateleiras inferiores dos armazéns e mercearias, mas era o mais procurado.  Foto 45



AS PECUÁRIAS

O grande centro abastecedor das fazendas era o Mercado Municipal e os estabelecimentos em seu entorno. A "AGRO-AVE" escolheu  diferente, instalou-se no centro da cidade tendo como vizinhos os bancos da cidade. Foi uma das primeiras a utilizar produtos químicos nas rações para canários para o refinamento das cores das plumagens. Foto 46



AS PENSÕES

Era uma pensão central. O lindo sobrado localizava-se  na Av. São Carlos, esquina com a rua Padre Teixeira, em diagonal com Escola Normal - Instituto de Educação  Dr. Álvaro Guião.  Foto  47 


AS LOJAS DE PNEUS

Foi a primeira loja de pneus  a instalar equipamentos para aferir o alinhamento da direção e o balanceamento das rodas Em São Carlos, localizava-se na região das lojas de autopeças da cidade, próximo da praça Elias Salles ou "Santa Cruz". Foto 48

Recuperava pneus avariados através de vulcanização, localizava-se  no início da Rua São Paulo, esquina com a rua Luiz Roher, próximo da Escola Estadual Arlindo Bittencourt, na Vila Monteiro.  Foto 49



OS POSTOS DE COMBUSTÍVEIS

É o único posto de combustíveis que consta do Almanaque. Localizava-se na principal avenida da cidade, próximo da entrada sul.  Foto 50



AS TECELAGENS

Foi uma das principais tecelagens da grande Vila Prado, localizava-se entre a ferrovia e o Ginásio Diocesano.  Foto 51



AS REFRIGERAÇÕES

Liderou o mercado de refrigeração regional por muitos anos. Equipou o Mercado Municipal, inaugurado em 1968, com balcões e câmaras frigoríficas.  Localizava-se a 100 metros do centro e tinha como vizinho a Imobiliária "José Santilli". Foto  52



OS RESTAURANTES

Localizava-se defronte à praça Antonio Prado e ao lado da Estação Ferroviária. Sua grande freguesia, em função da Companhia Paulista de Estradas de Ferro,  eram os viajantes .  Foto 53




AS SELARIAS

Arreios, cabrestos e selas, eram fabricados e comercializados, Servia principalmente a região Leste  da cidade. Localizava-se na esquina das  ruas Coronel Marcolino Lopes Barreto, e Conde do Pinhal.  Foto 54



AS SERRALHERIAS

Diferente das demais serralherias, fabricava as venezianas, portas, e batentes, em série; tinha muito mais característica de indústria. Localizava-se próximo da antiga fábrica da Faber Castell. Foto 55


AS SERRARIAS

As serrarias antigas foram envelhecendo e perdendo a vitalidade. Paralelamente, a Serraria São Carlos foi se tornando jovem e cheia de energia, passando a liderar o mercado madeireiro da cidade. A matriz localizava-se próximo da Estação Ferroviária e a filial, próximo da entrada sul da cidade.  Foto 56


AS SORVETERIAS

O idioma inglês já estava se fazendo bastante presente,  e surgiu o termo "CREMILK", devia ser uma junção de creme com milk. Sorvetes famosos, as pessoas saiam dos bairros para saborear os sorvetes próximo da Igreja São Benedito, na região comercial da cidade.  Foto 58



OS TRANSPORTES COLETIVOS

Começou no o final dos serviços dos bondes na cidade, início dos anos 1960, Inicialmente, apenas com algumas peruas Kombi fazendo o serviço de lotação, cresceu e passou a operar com  os ônibus. Foto 59n    



   OS TRANSPORTES DE CARGAS
                                                              
Foi a grande marca do transporte de carga da cidade.  Em 1971, quando a locomotiva a vapor BALDWIN foi transportada do pátio ferroviário de São Carlos para a Praça Brasil, na Vila Nery, o transporte foi feito por um dos caminhões do Expresso São Carlos, sendo o motorista o Aureliano Fernandes, o "Sula".  Foto 59




AS TIPOGRAFIAS


Pela quantidade de propagandas no Almanaque, é de se pensar que o mesmo foi impresso nessa tipografia. Localizava-se próximo do centro, entre as ruas Dom Pedro II e Rui Barbosa.  Foto 60

A FÁBRICA DE TRATORES

"CBT", tratores  que concorreram  com os das marcas FORD e MASSEY FERGUSON. A indústria possuia até um aeroporto pavimentado.  Contra-capa - Foto 61
Acabamos de fazer um passeio por um fascículo da história de São Carlos,
locais onde as pessoas  estudavam, trabalhavam, compravam, conviviam e se divertiam. 
Marcas que se instalaram, cresceram, geraram empregos, 
 pagaram seus impostos  e desapareceram.
Ficaram nas lembranças e nas saudades. 

Escreveu o almanaque de São Carlos de 1969   Foto 62 
CRÉDITOS:
Fotos:
01 à 62:  José Alfeo Röhm
Pesquisa:
Almanaque de São Carlos de 1969 - José Carlos Comenale
Foto 07 - Referência sobre os amigos e as frases do Big Bar: Sergio Paulo Doricci
Foto 18 - Referência sobre o Liceu Professor José Geraldo Keppe: Antonio Carlos Lopes da Silva
Foto 30 - Referência sobre a praça Itália: Antonio Carlos Lopes da Silva
Foto 33 - Referência sobre os fregueses de sítios e fazendas: Antonio Carlos Lopes da Silva
Foto 36 - Referência sobre o disco de Essio Pallone: Revista Kappa Magazine, Ano 3 Ed 59-Nº11-Páginas 38 à 40
Foto 37 - Referência sobre a família Ambrosio: Anna Cavazini Röhm
Foto 46 - Referência sobre a utilização de produtos químicos nas rações de canàrios: Antonio Carlos Lopes da Silva
Foto 40 - Referência sobre a marca MOYSTER: Valentim Gueller Neto
Participaram:
Anna Cavazini Röhm
Antonio Carlos Lopes da Silva
Carlos Vitor da Silva
Maria Nazareth, Daniel e Lika Röhm
Sergio Paulo Doricci
Valentim Gueller Neto


Obrigado por sua agradável companhia, nos encontraremos certamente na Estação 74.
                                                         Abraços, Alfeo.

QUERENDO  UTILIZAR  AS  FOTOS,  OU  OS  TEXTOS,  FIQUE  À  VONTADE,  MAS  CITE  OS  CRÉDITOS.

OBS: Se você tiver dificuldade em fazer um comentário na janela aí abaixo, entre como anônimo, e cite seu nome e e-mail no final do texto.