• 0
  • 1 Faculdade Dom Pedro II - São Carlos-SP (1928-2009)
    Acervo Valentim Gueller Neto
  • 2 Bonde da Carne São Carlos–SP (1912-1962)
    Acervo Raymond DeGroot
  • 3 Estação Ferroviária de São Carlos-SP (1925)
    Acervo Valentim Gueller Neto

Estação 11 - "Chamado aos Três Trilhos" – CTT

| | Comments: ( 1 )
Em 27 de agosto de 2009, o Férreo Amigo Jorge da Silva Kulikowsk me convidou para integrar o Grupo “ Chamado aos Três Trilhos – CTT”, ele é um dos maiores colecionadores de modelos ferroviários de todas as escalas, mas principalmente da escala O, dos 3 trilhos.

Quando cheguei no CTT, éramos em dezesseis, e o Gildo escreveu assim: “E pra dizer que começamos ...com 3 integrantes....solitários .tipo filhos sem pai...rsrs. Já disse..precisamos marcar a convenção CHAMADO AOS 3 TRILHOS LIONEL. Gildo”


Sobre o nascimento do CTT, o Gilberto Pallas Luizello conta:
“A Minha "breve" versão é a seguinte:
Conheci o Prof Pedro pelo Mercado Livre e depois o Jorge!
O Pedro mandou inicialmente uma lista contendo os nomes e endereços com todos os seus colegas que tem ou já tiveram Lionel...
Aproveitando essa Lista eu mandei um E-mail para todos convidando-os para trocarmos informações sobre o nosso hobby...
Dessa mesma lista responderam inicialmente o Walter o Gildo e o Cristiano...
Depois o Jorge me apresentou a o Ricardo...
Também o Jorge enviou os endereços do Hélio, do Alfeo, Amaury, do João Veloso, do Marcelo e do Paulus...
O Ricardo apresentou o Joaquim e o Cid Andrade...
No mercado livre eu também conheci o Mario Niajar que nos apresentou o Marcus...
Depois vieram o José Santoro, o Bernardo, o Stanley, o Silvio e o Antonio!
Através do orkut eu conheci a Adriana que nos apresentou o seu pai o Haroldo!
Desde o primeiro E-mail que enviei para a "convocação" do nosso grupo eu os intitulava de "Chamado a os Três Trilhos"!
E assim sendo o Walter deu a sugestão de que esse fosse o nome do nosso grupo!
Chamado aos Três Trilhos ou simplesmente CTT!

O Gildo criou a Comunidade no ORKUT com o mesmo nome " Chamado aos Três Trilhos Lionel" e o Walter aproveitou a foto de uma das suas locomotivas e fez um "logótipo"para o Grupo que pode ser visto na comunidade do Orkut!
Essa é a minha versão resumida de como eu me lembro sobre o inicio do CTT! (((BETO)))”






Os trens de 3 trilhos chegaram ao Brasil nos anos 40, 50 e 60 e principalmente fabricados pela LIONEL.






Hoje a grande maioria de praticantes são aqueles que herdaram a ferrovia e o material rodante de algum parente ou amigo. Para a felicidade desses poucos praticantes, algumas fábricas continuam a produzir modelos ferroviários na escala O. Ter uma maquete ferroviária nessa escala significa ter espaço, pois é necessário considerar os raios de curvas para os trilhos e material rodante. Mas a paixão, leva a conseguir espaços incríveis:



A versão dos trens de três trilhos em corrente alternada e alimentados por um polo pelos dois trilhos externos, e o outro pelo trilho central, se tornou um grande fascinio para seus praticantes e colecionadores e um dos maiores responsáveis por isso é Joshua Lionel Cowen, no início dos anos de 1900:
- Origens da LIONEL
- Bitolas
- Escalas





Em 28 de novembro de 2009, no XIV ENCONTRO BRASILEIRIO DE FERREOMODELISMO e IV CONCURSO DE FERREOMODELISMO em Paranapiacaba – SP, o Grupo com poucos meses de vida fez o seu primeiro encontro. e no Clube União Lyra Serrano os Meninos do CTT se encontraram.










O Beto construiu e levou uma mesa dobrável com os 3 trilhos e promoveu a alegria!








Em 30 de janeiro de 2010, o Beto Pallas Luizello recepcionou em Itatiba o 2ª Encontro do CTT, a chuva parou, e o churrasco e os 3 trilhos fizeram um grande sucesso!

Maquete do Beto:




O CTT começou com três Companheiros, e hoje já somos em 27 : Amaury Piccoli, Antonio Barroso, Bernardo Katz, Beto-Gilberto Pallas Luizello, Cid Andrade, Cristiano, Gildo J Pedrosa, Haroldo Mello, Helio Frateschi, João Velloso, Joaquim Moura, Jorge da Silva Kulikowsk, José Alfeo Röhm, José Santoro, Marcelo Lordeiro, Marcus Vinicius Guedes , Marcus Vinicius de Castro Guedes, Marcus Forain, Mário Niajar, Miguel Sasso, Nelson Caixinha, Paulus Lionel Donna, Prof.Pedro Silva , Ricardo Sasso, Silvio Forain, Stanley Hodge e Walter Lobo Filho.

Cada um tem sua História nos 3 trilhos, a minha está contada na Estação 10, e cada História acontece em: Cabo Frio-RJ, Caxambu-MG, Fortaleza-CE, Itatiba-SP, Penedo / Visconde de Mauá-RJ, Piracicaba-SP, Presidente Prudente-SP, Ribeirão Preto-SP, Rio de Janeiro-RJ, Santo André-SP, São Carlos-SP, São Paulo-SP, Volta Redonda-RJ......

E as Histórias vão ficando assim:






































Maquete do Walter Lobo:



Se você gosta e está contaminado por trens,
ferreomodelismo,
e principalmente pelos 3 trilhos da
fique atento, pois o 3º Encontro do CTT poderá ser no III Encontro de Ferreomodelismo de São Carlos, nos dias 24 e 25 de julho de 2010. A
plataforma é grande e comporta a maquete dos 3 trilhos.










Mas não se esqueça, se em julho não der certo, o 3º Encontro do CTT poderá ser em agosto no 14º Encontro de Ferreomodelismo da Frateschi.









Agradecimentos: Beto Pallas Luizello e Daniel Gobato Röhm pelas contribuições.

Fotos: Meninos do CTT.
Catálogo Lionel para 1948: JJEF Produções

Maquete da Estação de São Carlos: Modelada pelo Férreo Amigo Sergio Paulo Doricci

Obrigado pela sua agradável companhia, nos encontraremos na Estação 12.
Abraços, Alfeo.

Estação 10 - Estrada de Ferro Vale do Panema - EFVP

| | Comments: ( 0 )
No X Encontro de Ferreomodelismo das Indústrias Reunidas Frateschi, em agosto de 2006, Campinas-SP, prestei uma homenagem a um dos primeiros ferreomodelistas do Brasil:

LINNEU ÁLVORO FLORET

Nasceu em 11 de agosto de 1909, em Jaú - SP. Começou no ferreomodelismo, na sua cidade natal em 1926 com os trens que ganhava do pai. Em 1932 passou a fabricar suas primeiras locomotivas, vagões e trilhos e nos finais de semana montava a ferrovia no quintal de sua casa e ficava horas no comando, juntamente com a família.

Em 1945, trabalhando como bancário, foi transferido para AvaréSP e, em fevereiro de 1955, para São Carlos - SP. Construiu uma bela residência à Rua São Sebastião, Nº 1448, sendo que a área inferior da mesma foi projetada para abrigar a mesa ferroviária e a oficina de fabricação e montagem de modelismo ferroviário. Montou uma mesa em forma de “O”, com 10m de comprimento por 5m de largura, que ocupava uma área de 50m² e servia de base para os trilhos nas escalas HO e 0, em corrente alternada, ele a chamava de "Estrada de Ferro Vale do Panema - EFVP". Naquela época pouco se falava de ferreomodelismo, mas os vizinhos e principalmente as crianças do quarteirão eram os passageiros mais frequentes da ferrovia.

Na oficina, usinava, fundia, ajustava e montava os componentes metálicos, formando os rodeiros, truques, chassis e conjuntos de engrenagens. Transformava os fios esmaltados em relés, AMVs, induzidos e grandes transformadores, (fontes de alimentação). Das madeiras, fabricava os dormentes, vagões e carros de passageiros.

Modelava as chapas de latão, alumínio e ferro para as conformações das locomotivas e automotrizes. Sua preferência sempre foi pela escala 0.

Era gerente do Banco do Brasil, mas dedicou-se ao estudo e prática do ferreomodelismo por paixão. Para poder fabricar as vias permanentes e todo material rodante, aperfeiçoou-se em desenho técnico, mecânica, eletricidade, eletrotécnica e eletrônica.

O Engenheiro. Celso Frateschi, quando era aluno do Curso de Engenharia da USP de São Carlos nos anos 60/70, foi passageiro a EFVP.

Linneu faleceu aos 79 anos, em 15 de maio de 1988, em São Carlos-SP.
Em outubro de 2003, a família Floret presenteou-me com todo o acervo; a mesa ferroviária está em fase final de remontagem na chácara do Férreo Amigo Alan Fankhauser em São Carlos - SP, e todo material rodante, preservado no "Lugar do Trem".

Esta é uma homenagem a LINNEU ÁLVARO FLORET, um dos pioneiros no ferreomodelismo brasileiro, que graças ao seu empreendedorismo, superou todas as dificuldades; começando a fazer realidade ferroviária em miniatura, em 1932.

Agradecimentos:
Ao Lourival Floret, filho do Linneu, por ter me fornecidos todas as informações e fotos B&P.
Aos Férreos Amigos de São Carlos que me ajudaram no transporte e montagem da mesa de homenagem.
Às Indústrias Reunidas Frateschi pela colaboração no resgate da História do ferreomodelismo no Brasil.
São Carlos, 19 de agosto de 2006.
José Alfeo Röhm

A Estrada de Ferro Vale do Panema no tempo:



Em 1926 em Jaú, Linneu já tinha seus trens comprados pelo pai. Na foto a parente Lizetita de cavalinho num dos trens dele.














O Jornal "Correio da Manhã" do Rio de Janeiro noticiou em 22 de julho de 1933 a construção de uma das locomotivas de EFVP.


















Já em 1943, em Pederneiras - SP, continuou a fabricar seus próprios modelos na escala 1:43, construindo também uma ferrovia no jardim da residência onde morava com os pais.













Naquele mesmo ano fabricou o Trem Unidade, uma replica
perfeita daquele da LIONEL, e
o incorporou à Ferrovia do Panema de três trilhos.










Os carros de passageiros que são répicas dos da LIONEL foram modelados nos anos 50.










Nos anos 60 a ferrovia já estava em São Carlos, e um dos modelos que o Linneu modelou foi este duplex de FA-1







A "Jóia da Coroa", nos anos 70 fabricou em latão o mais lindo modelo de sua coleção, a Locomotiva a Vapor Consolidation, douradinha.







Além do material rodante, o Linneu fabricava também as vias, os trilhos, os dormentes, e os AMVs, desvios.
Com a evolução da ferrovia, o trilho central foi substituído por um fio de cobre e os contatos passaram a ser em cada dormente através de uma alça do fio transpassada.





















E com todos os vagões, carros de passageiros, locomotivas, trilhos, dormentes e AMVs, o Linneu Álvaro Floret construiu a sua ferrovia; "Estrada de Ferro Vale do Panema"






A Ferrovia tinha até carimbo para identificar os documentos, acervo bibliográfico e passagens.






Desde 2003 que todo o material rodante está sendo preservado e colocado em funcionamento periodicamente, e em breve voltará para os trilhos originais da EFVP.


















Os modelos raros da MÄRLIN e da LIONEL complementavam o acervo da EFVP.
Se o Linneu Álvoro Floret estivesse entre nós, certamente teria muita História pra contar, e estaria fazendo parte do Grupo "Chamado aos Três Trilhos - CTT", onde os Férreos Amigos da escala 0 - 1:43 se encontram semanalmente por e-mails, e anualmente em algum Encontro dos 3 Trilhos.








Fotos: Em B&P, Lourival Floret.
Trem Unidade - LIONEL, Wood Color - Mercado Livre
.
logotipo da LIONEL, Google Imagens.

Foi ótimo estar em sua companhia, obrigado e até a proxima Estação.
Forte abraço, Alfeo

Estação 09 - Dia do Ferroviário

| | Comments: ( 0 )




Dia 30 de abril comemora-se o Dia do Ferroviário, para homenagear os atuais profissionais das ferrovias e os ex ferroviários, uniram-se as seguintes Instituições de Araraquara: AFA - Associação de Ferreomodelismo. ABPF - Associação Brasileira de Preservação Ferroviária, UNIARA - Centro Universitário e Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Cultura - FUNDART, e organizaram o



1º ENCONTRO DE FERREOMODELISMO, PRESERVAÇÂO E MEMÓRIA FERROVIÁRIA DE ARARAQUARA.






Nos dias 01 e 02 de maio, no Saguão Sagrado da entrada da Estação, houve filas para a assinatura do livro de presença recordando as filas das bilheterias da EFA - Estrada de Ferro Araraquara, e da CP - Companhia Paulista, lembrando também os embraques e desembarques das pessoas dos trens.
Foto 01





A plataforma ficou repleta de expositores e visitantes, um grande sucesso! Muitas maquetes, muita gente visitando.

No Mercado de Pulgas, uma grande prática democrática, onde tudo se vendeu e tudo se comprou, teve até uma placa da
LIONEL que o Sr. Celso Frateschi chegou primeiro e comprou para presentear seu irmão Helio, uma raridade! Eu fiquei na vontade... Mas está em ótimas mãos o Hélio Frateschi também coleciona LIONEL.
Fotos 02 e 03




Além das maquetes ferroviárias, havia mais duas diferentes, uma de um parque de diversões, e a outra de uma fábrica de turbinas, ambas operacionais desenvolvidas pelo maquetista Edmundo de Souza morador em Araraquara. um show!
Fotos 03 e 04
Vejam os vídeos:















O Marcos Claudimo, mais conhecido por "Marcos Bomba" junto à programação da Rádio UNIARA FM, levou sua coleção de brinquedos antigos, alguns daqueles que aparecem aqui, na Estação o5, estavam lá expostos.
Foto 05





A EQUIPE organizadora levou para o Evento maquetes férreas de várias Associações de Ferreomodelismo da região, Araraquara, Bebedouro, Jau, Ourinhos, São Carlos,...

As alegrias e os brilhos nos olhos estavam principalmente nos olhares das crianças vendo os pequenos trens passando nas maquetes, e os trens reais na ferrovia. Essas crianças nunca andaram de trem! Mas os adultos também voltaram a ser crianças.... Fotos 06 e 07





Felizes também estavam os ex-ferroviários, como o Sr. Luis Manoel com noventa e um anos, que vestiu a velha farda ferroviária e levou o trem modelado por ele para expor.
Fotos 08 e 09






O diorama do Douglas Onça homenageou a saudosa MOGIANA.
Além do detalhismo do modelo, em seu entorno havia fotos raras das locomotivas a vapor e carros de passageiros. Obra de arte!
Foto 10





O almoço? Foi no Bar da Estação no comando do Bisão & Vera e filhas, coxinhas feitas pela Mãe do Luis Carlos Felice - Presidente da AFA, fantásticas! Detalhe, a campainha da Estação tocava na época dos trens de passageiros para anunciar as chegadas dos mesmos, no sábado e domingo, tocava e anunciava a chegada das coxinhas. Foto 11






O sucesso foi tão grande, que no estacionamento defronte à Estação não haviam mais vagas.
Parabéns para toda a EQUIPE que planejou e construiu esse Evento, esse trabalho poucos viram e poucos sabem!
Vocês lançaram mais uma semente em terreno fértil. Foto 12



Fotos: 01, 06, 07, 11 e 12 - Joel Nunes do Prado.


Obrigado pela companhia, abraços e até a próxima Estação, Alfeo.