• 0
  • 1 Faculdade Dom Pedro II - São Carlos-SP (1928-2009)
    Acervo Valentim Gueller Neto
  • 2 Bonde da Carne São Carlos–SP (1912-1962)
    Acervo Raymond DeGroot
  • 3 Estação Ferroviária de São Carlos-SP (1925)
    Acervo Valentim Gueller Neto

Estação 36: Estrada de Ferro Da Usina Tamoyo

| |

A primeira moagem da Usina Tamoyo que encontrei registro,  foi a de 1920, naquele ano, TAMOYO era com "Y". Entre os anos 20 e 50, cresceu muito e  tornou-se a maior potência sucroalcooleira da América do Sul.
Foto 01


Abaixo, um extrato das produções
 anuais  de 1920 a 1943. - Foto 02





Fazia parte da Refinadora Paulista S.A.  Foto 03










                            Foto 04 





Em 1947, surge a revista UMUARAMA, e foi  através de algumas delas que consegui resgatar um pouco da história da Ferrovia da Usina Tamoyo. Essas revistas hoje são raras e estão sob a guarda de ex-funcionários daquela Usina ou Antiquários. Consegui ter contato com alguns exemplares por meio do Irivaldo Antonio Gobato, que na época, era Secretário e Repórter da UMUARAMA.

A revista número 01, foi editada em 1º de agosto de 1947, e na capa lê-se: "BOLETIM MENSAL DA IGREJA DE SÃO PEDRO." Mas as notícias não são somente religiosas, e sim também dos acontecimentos sociais,  esportivos  e industriais da Usina. Foto 05


NACIONALIZAÇÃO: Nesta mesma revista, aparece a notícia do batismo de uma
 nova locomotiva, toda fabricada nas oficinas mecânicas da Usina Tamoyo.
Foto 06




Os exemplares de 02 a 34, eu não tive acesso e na Nº 35-36 de 1950,  a revista já estava sendo uma publicação dos empregados  e associações da Usina Tamoyo. Foto 07






   Em Junho de 1951, deu-se a inauguração solene de uma nova
    moenda, e a benção de 12 novas locomotivas a vapor. Foto 08
 





Solenidade do batizado das 12 novas locomotivas. Foto 09












PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO: Em janeiro de 1955,  o
 carregamento da cana nos vagões, deixou de se manual. Foto 10


  

A Ferrovia da Usina Tamoyo foi construída 
          exclusivamente para o transporte de carga: Cana de açúcar para
         moagem na Usina, e de açúcar e álcool da Usina para a Estação
Tamoyo  da Companhia Paulista.        

PATRIMÔNIO FERROVIÁRIO EM 1956:
  Foto 11






100 quilômetros de linhas, e entre eles o ramal Usina Tamoyo - Guarapiranga. Hoje, para fazer a ligação rodoviária  entre Araraquara - Usina Tamoyo e Guarapiranga, existe  uma estrada vicinal municipal bem retificada, de uns 30 Km, que provavelmente, aproveitou parte do leito ferroviário.  Mas, aquela linha ferroviária fazia muitas curvas para o trem poder atender os vários pontos de coleta da cana através de carregadeiras, e com isso tinha um percurso bem maior que 30Km. Os carregamentos de cana eram realizados em várias Seções Agrícolas, que pertenciam à Usina, e Guarapiranga, que era única fora dos limites da Tamoyo.    Foto12


 Recorte do mapa do município de São Carlos da década de 1950,
    que mostra a extensão da ferrovia entre a Estação Tamoyo da Companhia
 Paulista de Estradas de Ferro e a margem do rio Jacaré Grande.  
 "TRAMWAY DA COMPANHIA UNIÃO AGRÍCOLA MORGANTE"
Clique sobre as fotos que ampliam.         Foto 12-1



Empedramento do trecho "Usina - Mariano", 1956. Conversando com o Irivaldo Gobato, ele me contou que Mariano era um brequista de vagões, que sofreu uma queda de cima de um deles e veio a falecer. O local então, ganhou o nome dele. Na época, os freios dos vagões eram mecânicos, e acionados por um volante que ficava na parte superior de uma das  cabeceiras do vagão. "Mariano", era próximo da Usina, e na foto, ao fundo, é possível ver as cinco chaminés da mesma., hoje existe apenas um.    Foto 13



Em agosto de 1956, a diretoria da Usina Tamoyo assumiu o compromisso com os fazendeiros do Distrito de Guarapiranga - SP, de construir um ramal ferroviário, para o início de 1959,  para o transporte da cana de açúcar que era cultivado por eles. Fotos 14 e 15

                                  AJG:  Antonio José Galdino, mais conhecido por Tonico Galdino,
                                   Jornalista do "Correio D'Oeste" de Ribeirão Bonito por mais de 70 anos.
                               Faleceu em 30 de  janeiro de 2012, com 103 anos, ainda lúcido e escrevendo.


 A tradição era inaugurar e finalizar as safras com grandes festas. O início da safra de 1958 não foi diferente, na foto aparece a benção de uma locomotiva. Foto 16







Mantendo a marca original, nos produtos,  TAMOYO era com ""Y". No destaque, o saco de açúcar nº 800.000, em comemoração ao final da safra de 1958. Foto 17











Em fevereiro de 1959,  o anúncio da safra,  Foto 18


 e as notícias da construção da ferrovia
 Usina Tamoyo - Guarapiranga .  Fostos 19 e 20



E em agosto  de 1959, a divulgação
do ramal recém-construído. Foto 21





O maior desafio foi transpor o Rio Jacaré Guaçu.  Foto 22


















Mas o rio foi vencido, e a ponte construída. Foto 23


















A ponte passou no teste. Foto 24












E a ponte concluída. Foto 25












Em meados dos anos 60, a Usina Tamoyo foi vendida, e hoje de todo o conjunto original que formava uma verdadeira cidade, resta muito pouco. Tanto aquela Comunidade como a ferrovia, são apenas fotografias e lembranças daqueles que lá moravam e trabalhavam.
 O que sobrou da ferrovia? Além das muitas histórias, lembranças, saudades e fotografias;  duas locomotivas:

Uma em uma praça em Guarulhos - SP. VEJA AQUI

E outra, no Parque Pampas Safari, Gravatai - RS. CLIQUE AQUI

VEJA MAIS:



Créditos:
Fotos das Revistas UMUARAMA:
01 e 03:  Nº 85 - Dezembro, 1957
04: Nº 70 - Agosto, 1956
05 e 06: Nº 01 - Agosto, 1947
07:  Nº 35-36 - Junho e Julho, 1950
08 e 09: Nº 40 - Novembro, 1954
10: Nº 50-51 - Dezembro, 1954 - Janeiro, 1955
11 e 13: Nº 67 - Maio, 1956
14 e 15: Nº 85 - Agosto, 1956
16: Nº 89 - Maio, 1958
17, 18, 19 e 20:  Nº 92-95 - Novembro, 1958 a Fevereiro, 1959
21, 22, 23, 24 e 25: Nº 100-101 - julho e Agosto, 1959
Fotos:
02: -  Livro Oficina Dedini - Tamoio - Mario Dedini -pg 44-S/D
12 - Google Maps
12-1 - Acervo Valentim Gueller Neto
Sites:
 Revista Ferroviária

 ESTAÇÕES FERROVIÁRIAS do Brasil

 Câmara Municipal de Araraquara - SP

Colaboraram:
Daniel, Maria Nazareth e Lika Röhm 
Luciana Conceição Ippolito Giordano
Participação especial:
Irivaldo Antonio Gobato
Agradecimentos:
Equipe "Aquarela Cópias e Papelaria" - Av. São Carlos, 3361 - São Carlos,
Nelcimar Aparecido Pereira, o "Tuta", Aline, Daiane,Janaina,  Jéssica e Lucilene.
Irivaldo Antonio Gobato


Obrigado por sua agradável companhia, nos encontraremos certamente na Estação 37.
Abraços, Alfeo.

OBS: Se você tiver alguma dificuldade em fazer um comentário na janela aí abaixo, entre como anônimo e cite o seu nome no final do texto.

2 comentários :

Balan disse...

Suas postagens são um colírio para os olhos e uma grande dose de informações para melhorar o nosso conhecimento.
Parabéns pela matéria, embasada numa pesquisa da mais alta qualidade.
É um resgate belíssimo de um momento especial dessa ferrovia particular.

Anônimo disse...

No dia 5 de maio de 2012, haverá a reinauguração da igreja São Pedro na Usina Tamoio com missa solene presidida pelo bispo da diocese de São Carlos, às 16 hs. Por questões de segurança, a entrada será permitida apenas para quem estiver com o convite que está sendo distribuído gratuitamente na igreja Matriz São João Batista em Araraquara. Informações pelo telefone 3336-3556. Após a reinauguração haverá missa todo domingo às 16 hs. Endereço: Rodovia Washington Luís km 263, entre Araraquara e Ibaté. Abraço a todos! Whislei.

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário!