• 0
  • 1 Faculdade Dom Pedro II - São Carlos-SP (1928-2009)
    Acervo Valentim Gueller Neto
  • 2 Bonde da Carne São Carlos–SP (1912-1962)
    Acervo Raymond DeGroot
  • 3 Estação Ferroviária de São Carlos-SP (1925)
    Acervo Valentim Gueller Neto

Estação 51 - Nossos Brinquedos de Lata

| |


Mexendo no meu baú, encontrei o presente do meu batizado, dado pelo meu padrinho. Tio José Gabriel Cavasin, "Tio Zé". Creio que ele desejava muito ter um carrinho desse, mas como já tinha seus 30 anos,  comprou e deu para um neném com uma semana de vida. Lógico, o brinquedo ficou guardado alguns anos,  até que eu tivesse condições de brincar.  O tradicional no batizado,  era os padrinhos presentearem o afilhado com alguma roupinha, joguinho de talheres, estojinho de toucador e pequenas joias de ouro ou prata, como anélzinhos, medalhinhas e correntinhas,  - Foto 01



mas meu padrinho me presenteou com um carrinho alemão, réplica do BMW 328 - Foto 02




É um SCCHUCO Examico 4001. A chave original da corda, em formato de borboleta, se perdeu através dos anos. Foto 03



Sua perfeição mecânica, para os anos de 1940, é fantástica! O câmbio é operacional com 5 marchas,  4 velocidades a frente, a 1ª é lenta, a 2ª é média, a 3ª é rápida e a 4ª muito rápida,  e ré Tem também o ponto morto, indicado pelo "0".  Do lado esquerdo, externo, tem uma tecla que atua como embreagem. Foto 04



Do lado direito, interno, a alavanca do freio. Depois de encontrá-lo e verificar que ainda funciona,  veio a ideia de registrar aqui  também os brinquedos de lata das infâncias da minha esposa, meu irmão, meu filho, e meus amigos    Brinquedos de lata, de uma época que se brincava com brinquedos. Aí, comecei os contatos e as catanças para poder fotografar. Foto 05



VEJA O VÍDEO 



BRINQUEDOS DA MINHA ESPOSA:

Minha esposa cuida muito bem até hoje de uma maquininha de costura 9002 da               

É dos anos 50, quando as meninas eram treinadas desde a infância para serem Donas de Casa. Os brinquedos femininos eram bonecas, fogõezinhos, panelinhas, casinhas, todos relacionados com o lar e as prendas domésticas.   Fotos 06 






 Perfeita, ainda costura e é uma réplica das máquinas de costura profissionais de mesa, que para costurar era necessário girar o volante com uma mão, através de uma manivela. Nazareth a ganhou do meu sogro, Jovenal Gobato, no Natal de  1955. Foto 07













O manual explica passo a passo os procedimentos de como   costurar.    Foto 08                  


E a embalagem original:  Fotos 09 e 10






BRINQUEDOS DO MEU FILHO:


Meu filho Daniel teve muitos brinquedos. Cresceu, hoje está com 31 anos, e em 20 de março de 2010, doou a maioria  para o Museu do Brinquedo do   radialista de Araraquara Marcos Claudino "Marco Bomba" Este ônibus ele ganhou no aniversário de 4 anos, 1986. Foto 11




BRINQUEDOS DO MEU IRMÃO:

Entre os brinquedos que meu irmão  Sergio teve,  aquele que ele mais brincou, foi uma Lanchinha Pop Pop  da                 

Ele ainda a tem e a preserva, mas está guardada numa das caixas das várias mudanças que fez. Lançada em 1968, permaneceu nas lojas até 1970.   Foto 12                                     



 Em 1972, voltou  e depois saiu do mercado, se tornando item de colecionador. Internamente ela tem  um pequeno depósito de água que é abastecido pelos caninhos que aparecem no fundo dessa "Pop Pop". As entradas dos mesmos estão na parte inferior e posterior da embarcação.  Depois de abastecido de água, uma vela acesa é colocada sob o depósito, e a lanchinha na água. Com o aquecimento, o vapor sai pelos caninhos e faz a embarcação navegar. A saída do vapor dentro da água produz o som "Pop Pop". Foto 13



Nesta  réplica de  1990, é possível ver o porta velas e as mesmas que são colocadas sob o depósito de água.  Foto 14


VEJA O VÍDEO 



AGORA,  DOS MEUS AMIGOS.

BRINQUEDOS DO GUELINHO:



O amigo Valentim Gueller Neto, o "Guelinho" me emprestou alguns brinquedos que são mais representativos da sua infância.   O MR ROBOT,  japonês, dos anos 60. É a pilha, bate e volta, e todo iluminado na cabeça. Foto 15

Detalhe, ainda com a embalagem original Foto 16



Também dos anos 60, uma Isetta japonesa, Réplica do carrinho alemão da BMW, e para nós a Romi Isetta. Foto 17



A pintura é automotiva, fantástica!  É a fricção e riquíssima em detalhes.    Foto 18




Também na embalagem original. Foto 19



O Valentim o chama de Índio, mas creio que é um africano representando alguma tribo. é a corda, e anda todo articulado. Foto 20



Na mão  esquerda tem um escudo de guerreiro, na cintura tem uma tanga com franjas e nas pernas tornozeleiras. Foto 21


BRINQUEDOS DO ANTONIO CARLOS:

O amigo Antonio Carlos Lopes da Silva, o "Chita", me contou que o brinquedo de lata mais significativo,  que ele teve na infância, foi um carro de corrida de pedal. A foto é alusiva, pois nem ele, e nem eu conseguimos encontrar uma imagem daquele brinquedo. Foto 22


BRINQUEDOS DO TUNÃO

O amigo Luis Carlos Porto, O "Tunão" , trouxe algumas raridades da sua infância e também do seu acervo. Estes carrinhos, ele os adquiriu em 2008,  em um antiquário em Curitiba. As cordas são acionadas pelas alavancas laterais. Japoneses, anos 50.  Foto 23




Esse caminhão foi de sua infância e sempre foi o preferido. Japonês, bate e volta, as pilhas são alojadas no compartimento central, entre a cabine e o misturador de concreto. Foto 24




Quando o caminhão é colocado em movimento, o misturador de concreto gira e dentro dele há uma lâmpada que o ilumina. Há a opção de estacionar o brinquedo e o misturador continuar girando. 1960. Foto 25




Esta lanchinha era do amigo José Otávio Pacheco Maximino, o "Zé Otávio", e o Tunão, cunhado, a preserva. Japonesa e a fricção. Anos 60 - Foto 26




Girando-se a manivela, o mecanismo faz a hélice entrar em movimento  e a embarcação se movimentar na água. Na foto, detalhe da hélice operacional, que fica sob o casco. - Foto 27



Muito diferente mesmo! Mas da mesma forma que é diferente, é genial!  É da  Metalúrgica Matarazzo, provavelmente anos 30, quando iniciou-se aquela Empresa.  Pertenceu ao sogro do Tunão, Sr  José Maximino Junior. É um cofrinho e um brinquedo muito divertido!  Quando se abaixa a alavanca sob a boca do diabo,  Foto 29 




ele coloca a língua para fora. Coloca-se uma moeda sobre a mesma, levanta-se a alavanca e ele a engole.   Foto 30 

    




BRINQUEDOS DO JUCA: 

O trator  "CBT", com carreta     dado Luiz Varella Junior, o "Juca" está perfeito! Nos pneus traseiros, ainda estão as marcas de terra por onde passaram. As pilhas são alojadas no compartimento existente no piso da carreta, e o motor fica sob o "cofre" do trator. Foto 31




A suspensão e direção são operacionais. A embalagem está perfeita e   - Foto 32




 tem o certificado de conferência da                              datado de 2 de 9 de 1971, final da Metalúrgica Matarazzo. - Foto 33


E PARA QUEM GOSTA DOS TRENZINHOS, O JUCA GUARDOU OS DELE DOS ANOS 50 


Uma composição de passageiros a  corda da     - Foto 33




Possui a estação e os trilhos na escala  1:43  - Foto 34



 E a locomotiva da       Foto 35



A pilha é colocada no compartimento da caldeira.  Foto 36



Na base e no centro,  tem duas rodas guias que são colocadas sobre um arame grosso. Através dessas rodas, a locomotiva é guiada sobre o arame acompanhando as curvas e retas que foram executadas nele.  - Foto 37

Esses brinquedos de lata  representam uma época que se brincava. Construíamos cenários imaginários, e depois os materializávamos; cidades, fazendas, vilas, casinhas, escolas, fábricas...Os brinquedos tinham que ser muito bons, pois "sofriam" em nossas mãos.Além da época,  também representam sonhos, Papais Noéis, aniversários, lembranças e saudades.  Cada brinquedo tem uma história pra contar.

A expressão  popular "lata", significa folha de flandres, que é uma chapa fina de ferro estanhada para evitar ferrugem. É utilizada principalmente para na fabricação de embalagens para produtos comestíveis como: Conservas, cerveja, refrigerante, óleo vegetal, bolachas, embutidos, sorvetes, laticínios, etc.. Sua utilização industrial para fabricar brinquedos, se dava  pela reutilização das sobras das produções das embalagens, Caso da 

VEJA MAIS




DISSERTAÇÂO DE MESTRADO DA PESQUISADORA
  LUDMILLA ÉRICA COMBUSANO DE SOUZA 
- USP- FFLCH  - 
"A SESSÃO DE BRINQUEDOS DA METALÚRGICA MATARAZZO SA"
-METALMA-, ANOS DE 1930-1950 EM SÃO PAULO-
São 317 páginas de pesquisa, com fotos, sobre o brinquedo brasileiro.
Baixe o arquivo AQUI


CRÉDITOS:
FOTOS: 
12, 13 e 14: Sidnei Paulo Diana - Brinnquedos Raros
23: EUREKAKIDES Brinquedos Educativos
Demais: José Alfeo Röhm
LOGOS:
Estrela: Embalagens
Metalúrgica Matarazzo: Embalagens
Vídeos: You Tube
PARTICIPARAM:
Antonio Carlos Lopes da Silva
Luis Carlos Porto - "Tunão" e Alzira
Luíz Varella Junior - "Juca",  Damares - "Dadá" e Paulo
Maria Nazareth, Daniel e Lika Röhm
Valentim Gueller Neto - "Guelinho" e Marina dos Anjos Dino
PARTICIPAÇÃO ESPECIAL:
Sidnei Paulo Diana -Brinquedos Raros - SP


Obrigado por sua agradável companhia, nos encontraremos certamente na Estação 52.
                                                         Abraços, Alfeo.

OBS: Se você tiver dificuldade em fazer um comentário na janela aí abaixo, entre como anônimo, e cite seu nome e e-mail no final do texto.

4 comentários :

Anônimo disse...

Alfeo,

Mais uma maravilha. Uma viagem à nossa infância.
Parabéns.
Antonio Carlos

Wamberto junior disse...

Eu lembro de ter carrinhos e caminhões de lata para eu brincar quando eu era criança bons tempos que não voltam mais.

Abraços alfeo

José Alfeo Röhm alfeo.rohm@yahoo.com.br disse...

Recebido por e-mail do Sidnei Paulo Diana - Brinquedos Raros:

" Caro Alfeo,
Bom Dia.
Fantástico seu artigo. Muito bom mesmo.
É direto e preciso.
Você consegiu transmitir a poesia do brinquedo e de uma época. Parabéns !

Tenho apenas algumas poucas e insignificantes ressalvas;
- O número 4001 do carrinho Schuco significa duas épocas próximas mas muito distintas; pode ser " Vorgrieg " em alemão, ou seja " Pré-Guerra " ( anos 30 ) ou pós Guerra, período entre 1949 quando a Schuco recomeçou sua produção a 1955 quando terminou a Ocupação Militar na Alemanha.
O seu caro 4001 tem marcado embaixo, " Made in U.S. Zone " isso quer dizer que foi fabricado na época da Ocupação, pós Segunda Guerra e portanto é considerado década de 1950 e não 1940.

- A máquina de costura, foi também fabricada na Alemanha, a Estrela apenas importava.
Essa máquina foi fabricada por diversas fábricas alemãs e foi muito produzida. Não se sabe donde vem o desenho.
A Estrela nunca teve maquinário nem tecnologia para produzir brinquedos desse tipo. O brinquedo era importado e na fábrica era pintado, decorado com decais e recebia a Caixa. A Estrela nos anos 40 e início dos anos 50 era uma grande importadora de brinquedos principalmente da Alemanha e também dos EUA.
Podemos dizer que o 4001 da Schuco, a máquina de costura e outros brinquedos alemães ajudaram em muito a reconstruir muitas fábricas de brinquedos que foram destruídas durante a guerra.

Muito obrigado pelo crédito.

Um Abraço,
Sidnei
http://www.brinquedosraros.com.br"

Daniel de Souza disse...

Adorei!! Parabéns!!

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário!